Ok Computer: 20 anos

downloadOk Computer, um dos melhores –senão o melhor dos– álbuns do Radiohead, completa 20 anos este mês.

Descobri o Radiohead há apenas uns 4 ou 5 anos. Foi uma tão tardia quanto grata surpresa. Acostumado com os dinossauros do rock ‘n’ roll, especialmente do rock progressivo, como Pink Floyd, Yes, Genesis et al., não só não estranhei o som da banda como me tornei um admirador do seu trabalhado.

Conforme matéria no EL PAÍS Brasil de hoje, 22-5, «para muitos, desde 1997, nada superou uma obra tão influente como “Ok computer”, do Radiohead». Talvez seja uma avaliação exagerada, mas sem dúvida se trata de um grande álbum de uma grande banda.

Todos os componentes do Radiohead são muito bons, mas o vocalista, compositor e multi-instrumentista Thom Yorke merece uma menção especial. É de fato um grande artista.

Clique AQUI e assisa à execução completa de Ok Computer, ao vivo, no show feito pelo Radiohead em Hammerstein Ballroom, New York, NY, USA, em 19 de Dezembro de 1997.

Karl-Otto Apel

hqdefaultSó hoje soube da morte, ocorrida no domingo, 15-5-2017, de um dos mais importantes filósofos do século XX: o alemão Karl-Otto Apel, de 95 anos.

Apel desenvolveu uma ética filosófica no seio da chamada reviravolta linguístico-pragmática da filosofia transcendental (Manfredo Araújo de Oliveira). Para ele, a linguagem, enquanto meio de toda comunicação, constitui condição ineliminável de possibilidade e validade da argumentação sensata e portadora de normas morais consensuais (comunidade ilimitada de comunicação).

Com o fim de fundar racionalmente uma ética universal –a Ética do Discurso– para o mundo contemporâneo, percorreu um longo caminho de discussão e superação com os mais tradicionais sistemas da filosofia ocidental. Esse percurso é documentado na sua obra-prima Transformação da filosofia (1973-6)*.

Claramente de orientação kantiana, Apel dialoga especialmente com a hermenêutica fenomenológica de Heidegger e Gadamer e com a semiótica de Peirce. E é justamente desse diálogo que resulta a transformação pragmático-transcendental da filosofia: a filosofia consiste na reflexão transcendental de todo pensar dialógico, e a Ética do Discurso, numa ética intersubjetiva de caráter a priori pragmático-transcendental, solidária e universal, portadora de consenso, verdade e responsabilidade.

A foto acima foi tirada durante uma entrevista concedida pelo filósofo em 2004 a Nicole Holzenthal. Esta e outras entrevistas estão disponíveis no Youtube. Uma das coisas que mais chamam a atenção é a humildade intelectual e a serenidade de Apel.

Sem dúvida, uma grande e inestimável perda para a filosofia!

Clique AQUI para assistir à mencionada entrevista.

E clicando AQUI você pode ler uma pequena entrevista concedida por Apel a Maurício Guilherme Silva Júnior quando esteve na UFMG.

O importante jornal alemão Die Zeit, ao noticiar a sua morte, refere-se a Karl-Otto Apel como “representante da Escola de Frankfurt” e considera que ele tenha influenciado a Ética do Discurso.  Isso se deve, decerto, ao trabalho desenvolvido por Apel em parceria (dialógica!) com seu amigo, outro grande filósofo, Juergen Habermas. Mas se este último pode sim ser considerado como um membro da citada Escola, o mesmo não se pode dizer sem mais de Apel, que sempre manteve uma posição de independência em relação ao neomarxismo e às demais correntes filosóficas contemporâneas.

* Tradução brasileira: Transformação da filosofia. Vol. 1: Filosofia analítica, semiótica, hermenêutica; vol. 2: O a priori da comunidade de comunicação. São Paulo: Loyola, 2000.

O último concerto de Chris Cornell

imageMorreu ontem, 17-5-2017, o músico americano Chris Cornell, vocalista e guitarrista dos grupos Soundgarden e Audioslave, aos 52 anos, em Detroit, nos Estados Unidos.

Horas antes da morte, o ícone do grunge subiu ao palco, naquele que viria a ser o seu último concerto.

Veja trecho do show clicando AQUI.

[Disponível em < http://www.jn.pt/artes/interior/o-ultimo-concerto-de-chris-cornellhoras-antes-de-morrer-8486023.html >. Acessado em 18-5-2017.]

O mundo por José Mujica

«Em sua nona videocoluna para a DW, o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, questiona-se como um mundo no qual a produtividade se multiplica à esteira da tecnologia não consegue socorrer suas crianças pobres. Para ele, os governos centrais são incapazes de superar suas visões de curto prazo e egoístas para resolverem o problema.»

Veja: Consciência Sul, DW.COM, 2/1/17

O 1. rap brasileiro

Deixa isso pra lá
by Jair Rodruigues et. al.
live Auditório Ibirapuera

Em 2013, na apresentação de final de ano da escola de música do meu filho, esse menino de 75 anos apareceu para dar uma palavrinha e acabou dando um verdadeiro show em 10 min: o Jair falou e disse, contou piada, cantou duas músicas e, pasmem, até plantou bananeira, de terno mesmo… Foi impressionante. Um verdadeiro showman.

Ao longo do dia, ouvi vários depoimentos sobre o artista Jair Rodrigues e a sua pessoa. Parece mesmo que o artista e a pessoa eram uma coisa só, ou seja, o artista não era uma personagem: o Jair era assim mesmo, sempre alegre, carinhoso, otimista e apaixonado –pela música, pela vida, pelas pessoas.

Esse é, na minha opinião, um mito que nos caberia, brasileiros, cultivar. (Mil vezes mais do aquela metáfora de hamster, cujo esporte consistia em ficar girando como numa roda.)

Morreu hoje, pelo que ouvi, na sauna ou depois da sauna, dormindo. Não é a primeira morte relacionada à sauna de que tenho notícia. (É preciso tomar cuidado!) E ultimamente tivemos outras notícias de morte durante o sono. (Pode parecer a morte dos sonhos… mas, se pudesse escolher, eu preferiria morrer acordado!)

Posso parecer piegas, mas o Brasil de fato acordou hoje menos alegre.