vagueza

Não tenho certeza de se, afinal, trata-se apenas de uma questão terminológica, nem de se a realidade da ciência, com seus “conceitos vagos”, pode servir de critério de avaliação de conceitos etc. Continuo com a impressão de que a querela da vagueza está relacionada com aquela outra questão, da natureza do princípio de não-contradição (PNC)… Para Aristóteles, o PNC tem três aspectos: psicológico, lógico e metafísico. Parece-me que muitos filósofos contemporâneos reduzem o conceito a seu aspecto psicológico, enquanto os idealistas alemães, por exemplo, destacavam o metafísico. Kant, se não estou errado, tentou evitar os dois extremos, estabelecendo a pertinência exclusiva do conceito à lógica.