janela d’alma

O olho humano, diferentemente do dos pássaros (que é semelhante a um espelho), possui a inexplicável qualidade de se deixar penetrar pelo olhar do outro, revelando-se portador de um sentido que ninguém adivinha antecipadamente. [Luc Ferry, em O Homem-Deus ou o sentido da vida]